Como a contabilidade pode evitar que o cliente caia na Malha Fina?

Cair na malha fina é um dos maiores receios de qualquer contribuinte do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Logicamente, você não quer que isso aconteça com os clientes do seu escritório, certo?

Nesse sentido, em 2018, mais de 30 milhões de brasileiros declararam o IRPF e aproximadamente 628 mil dessas pessoas foram retidas na verificação de inconsistências que o Governo faz anualmente.

É por esse problema ser tão comum e atingir tantos declarantes, que a contabilidade pode ser decisiva para evitar que o cliente caia na malha fina! Então, quer entender melhor sobre esse problema e saber como os contadores podem agir? É só seguir a leitura.

O que é a malha fina do IRPF?

A malha fina é basicamente o processo de separação entre as declarações que estão corretas e aquelas que apresentam algum tipo de incoerência. Isso acontece porque alguns contribuintes omitem algumas informações na hora de declarar.

Outros, por sua vez, se perdem com alguns detalhes da entrega. Claro, isso é bem normal devido a complexidade das informações. Contudo, o impacto disso é que o declarante pode ser chamado para ajustar os erros e, caso as irregularidades não sejam resolvidas, ser até intimado a pagar multas.

Após uma análise apurada feita pelo Governo e, se constatado qualquer tipo de incompatibilidade entre o que prevê a declaração e o documento enviado, seu cliente pode ser submetido também a uma investigação rigorosa e ter que pagar os impostos atrasados.

Mas, como evitar problemas com a Receita?

O contador tem um papel consultivo em vários momentos de sua relação com o cliente. Um exemplo disso é na hora de informar sobre a defasagem na tabela. Isso significa que ele precisa orientar o declarante em tudo o que envolve a entrega do IRPF.

Mas fique atento: é importante lembrar que a preparação para a declaração começa antes do envio das informações. Por isso, você vai entender que se organizar desde o início também ajuda a evitar que os seus clientes caiam na malha fina! É hora de anotar as dicas:

    1) Fique atento aos principais fatores que levam à malha fina

Identificar o que leva a maioria dos contribuintes a caírem na malha fina é um dos fatores mais importantes na hora da prevenção. Assim, conhecendo o que de fato transforma a experiência de entrega do IRPF em algo negativo, você consegue ajudar o seu cliente de forma muito mais assertiva.

Confira os principais motivos que seguraram os declarantes na malha fina nos últimos anos:

  • Omissão de rendimentos (do titular e dos dependentes)

Omitir aspectos que fazem parte da renda é o que tem levado a maioria dos contribuintes à cair na malha fina. Isso porque rendimentos referentes à aluguel, aposentadoria e pensão alimentícia também devem ser informados pelos declarantes. Porém, mais de 300 mil pessoas ficaram retidas porque deixaram de declarar informações como essas.

Sabendo disso, você pode orientar os seus clientes a enviar os rendimentos corretamente e evitar que eles caiam na malha fina. Ao esclarecer que o salário não é o único fator que entra nos critérios para o IRPF, você estará eliminando o principal motivo de erro na declaração.

  • Dados incompatíveis com a declaração de quem remunera

Você sabia que o governo compara a declaração do cliente com informações da fonte que o remunera? É nesse cruzamento entre os dados informados que muitas pessoas acabam caindo na malha fina!

Uma forma de neutralizar esse fator é alertando o cliente de que ele precisa checar os rendimentos com a empresa onde ele trabalha antes de te enviar as informações. Além disso, se o seu cliente mudou o padrão de vida com relação aos outros anos, a declaração precisa ser atualizada!

  • Problemas com gastos médicos

Seu cliente pode não saber o que deve declarar no que se refere às despesas com saúde. Foi assim com pelo menos cem mil pessoas que ficaram retidas por causa desse fator no ano passado. Isso porque o contribuinte geralmente quer abater despesas que não são possíveis.

A dica é que você oriente seu cliente a te enviar apenas as despesas com planos de saúde ou tratamentos médicos. Remédios ou equipamentos não entram na lista de gastos que podem ser deduzidos no IRPF.

      2) Cobre do cliente transparência nas informações

Depois de saber os principais motivos que levam o cliente a cair na malha fina, vamos falar do recebimento das informações. Você precisa se certificar de que vai receber todos os documentos com o máximo de transparência possível!

E é importante destacar: a contabilidade só pode ajudar o cliente se o envio dos dados por ele for correto. Caso contrário, a declaração pode cair na malha fina. Mas isso porque o contribuinte não esteve totalmente atento às exigências da Receita Federal!

O contador não tem responsabilidade sobre uma declaração incorreta devido às omissões do cliente, por exemplo. Porém, você como um profissional atento, pode informar tudo ao seu cliente e evitar problemas.

    3) Estabeleça prazos com tempo hábil para fazer a declaração

Para evitar que o cliente caia na malha fina, o contador precisa elaborar a declaração em tempo adequado. Por isso, inicie o processo com antecedência para garantir que tudo saia corretamente!

Coloque prazos e se organize para conseguir reunir todos os documentos e identificar as irregularidades. Você vai ver que quanto mais cedo trabalhar na declaração, maiores serão as chances de entregar tudo certo. Consequentemente, você vai conseguir evitar que o seu cliente seja retido.

    4) Adquira uma boa solução para domar o IRPF

Contar com um software especializado para a declaração do seu IRPF é com certeza a dica mais importante para você evitar que o seu cliente caia na malha fina.

Com uma boa solução você consegue ter mais tranquilidade e segurança, sem se preocupar com as perdas das informações ou a localização delas. Dessa forma, um bom sistema armazena as informações em nuvem e torna os dados disponíveis para você acessar em qualquer lugar!

Além disso, com um software você consegue mapear a situação do cliente e identificar e solucionar erros. Tudo isso, através de análises e relatórios apurados.  Viu só como uma boa solução pode ajudar? Sabendo disso você pode tomar decisões mais assertivas na hora de se preparar para declarar o IRPF do seu cliente!

Agora que você já tem tudo para evitar que o seu cliente caia na malha fina, saiba como otimizar ainda mais a declaração lendo o nosso próximo artigo. Garanto que você não vai se arrepender!

Mastermaq Software

A Mastermaq mantém, há 27 anos, uma história ao lado dos contadores e empresas, com o propósito de transformar a contabilidade em fator de sucesso para o empreendedor brasileiro. Especialistas em soluções para gestão e operação de organizações, com forte aderência às legislações: contábil, fiscal, trabalhista e tributária, a empresa atende todo o território nacional.

LEIA TAMBÉM