10 indicadores para entender a saúde financeira da empresa

Conhecer a fundo os números do seu negócio é um passo básico para manter a saúde financeira da empresa. Só assim é possível garantir que as contas fiquem saudáveis, fator fundamental para transmitir confiança para os investidores, equipe e para os seus clientes.

Para isso, é preciso monitorar a empresa com uso de indicadores financeiros adequados. Não sabe por onde começar? Então confira agora as 10 principais métricas que listamos pra otimizar sua mensuração!

Lucro Bruto e Lucro Líquido

O Lucro Bruto se resume a Receitas Totais – Custos Diretos (Variáves) da operação. Aqui, considera-se Custos Variáveis aqueles que oscilam com o aumento da produção, como a compra de matéria-prima e logística ou a folha de pagamento da mão de obra diretamente envolvida na produção.

Já o Lucro Líquido pode ser obtido pelo cálculo: Receitas Totais – Custos Diretos – Despesas Totais

As Despesas Totais incluem ônus provenientes de ações não relacionadas diretamente com a produção, como manutenção de equipamentos, folha de pagamento da administração, aluguéis e pagamentos de empréstimos de juros.

EBIT ou LAJIR

O EBIT (Earning Before Interest and Taxes) é o Lucro Antes de Juros e Impostos, considera o lucro proveniente apenas da atividade direta da empresa. Por isso, desconsidera ônus provenientes de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre Lucro Líquido, assim como os juros provenientes de ações no mercado financeiro. Assim, o cálculo pode ser feito da seguinte maneira:

LAJIR = Lucro Líquido + IRPJ + CSLL + Líquido de Rendimentos e Encargos Financeiros.

EBITDA ou LAJIDA

EBITDA é a sigla, em inglês, para Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (LAJIDA). Essa métrica é similar ao LAJIR, embora desconsidere também os itens citados no próprio nome. Aqui, a fórmula muda um pouco, e passamos a considerar:

LAJIDA = Lucro Líquido + IRPJ + CSLL + Líquido de Rendimentos e Encargos Financeiros + Depreciação e Amortização.

Geralmente, é usada para auferir o impacto das vendas no fluxo de caixa da companhia.

Taxa Interna de Retorno (TIR)

O TIR deve ser utilizado para se calcular se determinado projeto irá trazer bons resultados. Ele mostra como o valor de um projeto varia no tempo, seja por valorização e amortização. Embora sua fórmula seja complicada, o TIR pode ser calculado com a ajuda de softwares especializados em gestão financeira.

Payback

Também voltado a aferição do sucesso de um projeto, o Payback mostra em quanto tempo o valor investido inicialmente terá um ganho acumulado compensatório. Sua fórmula é:

Payback = Investimento inicial / Rendimento gerado mensalmente

Isso deve ser feito até que o rendimento acumulado mensal seja igual ao investimento inicial. o Resultado é o Payback do seu negócio.

CAPEX e OPEX

Sigla em inglês para Investimentos em Bens de Capital, o CAPEX é, basicamente, a quantia gasta na compra de um equipamento para o seu negócio. Ele pode ser calculada da seguinte forma:

CAPEX = Variação dos ativos – Variação dos passivos da companhia

Já o OPEX é a sigla para Despesas Operacionais, ou seja, aquilo que é gasto na manutenção de um equipamento.

Análises Verticais e Horizontais

Para se obter informações a partir dos dados coletados pelas métricas, é preciso compará-los de maneira eficiente e isso pode ser feito através de comparações horizontais e verticais. Na análise horizontal, compara-se informações de uma mesma métrica em períodos diferentes, como o Lucro Líquido de 2015 e o de 2016. Assim, é possível ter um panorama da situação da empresa em uma linha do tempo para monitorar sua saúde financeira.

Já na análise vertical, o período base é o mesmo para métricas diferentes; dados de 2016 são comparados com outros dados de 2016. Você pode conjugar informações sobre o Lucro Líquido com CAPEX, por exemplo, para saber qual foi o impacto de determinado investimento em um bem de capital no seu rendimento mensal.

Mantendo a saúde financeira da empresa: definindo metas para as métricas

O método SMART é um conceito prático e eficiente queconsiste no uso inteligente de critérios para a definição de metas. Ele defende que toda meta deve ser fundamentada por 5 critérios:

  • S (Specific): uma meta deve ser específica e clara, com um número definido. Vender muito no mês é diferente de vender 15k no mês.
  • M (Mensure): deve existir estruturas e métodos confiáveis para que a meta seja devidamente mensurável;
  • A (Achieavable): a meta buscada deve ser relevante ao público participante de seu alcance;
  • R (Realistic): Deve ser desafiadora mas realística. Se suas vendas mensais forem 5k/mês não adianta fazer uma meta de 95k/mês
  • T (Time-based): a meta precisa ter um prazo definido para ser atingida. Semanal, quinzenal, mensal, semestral, anual, etc.

Agora que você já viu quais são as principais métricas para medir o desempenho do seu negócio e manter a saúde financeira da empresa, que tal receber mais informações para garantir os melhores resultados? Siga nossa fanpage no Facebook e receba material de qualidade direto na sua timeline!

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM