Indicador financeiro: qual acompanhar e mensurar?

Monitorar o desempenho do seu escritório de contabilidade por meio de um indicador financeiro é fundamental. Além disso, é extremamente importante que você saiba analisar diferentes dados e relacioná-los. Isso porque um indicador, por si só, não traz um diagnóstico válido sobre a situação do seu negócio.

Esses resultados servem para embasar decisões e planejamentos, pois levam em conta números relativos à performance do seu escritório. Por isso, eles devem ser parte integrante dos relatórios que têm o objetivo de otimizar o seu negócio.

Conhecer a posição financeira do seu escritório é ainda mais importante quando você deseja melhorar a sua lucratividade. Além disso, a falta de um conhecimento preciso da situação atual do seu negócio pode levar a consequências indesejadas.

Você sabe qual indicador financeiro acompanhar e mensurar para saber como anda seu escritório? Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, confira o artigo de hoje para ver quais são eles e como podem te ajudar. Boa leitura!

1. Faturamento total

No mundo dos negócios e da economia, uma das medidas mais importantes para avaliar seu sucesso e progresso é buscar saber quais são os resultados e projeções em seu faturamento total. Ele é a medida base para praticamente qualquer cálculo de relação.

O faturamento total é o rendimento total de uma empresa, e o seu cálculo é feito multiplicando a quantidade de bens vendidos pelo preço desses bens.

Por exemplo, se uma empresa possui 100 contratos e os presta por R$ 500 cada, sua receita total seria de 100 x R$ 500 = R$ 50.000.

O faturamento total do seu escritório contábil é um ponto que merece atenção. Relatórios sobre esse valor te oferecem uma noção primária de quanto sua empresa ganha e cresce ao longo do tempo.

2. Custo operacional

Os custos operacionais são as despesas associadas à manutenção da operação do seu negócio no dia a dia. Eles compõem o orçamento operacional e sempre devem aparecer na sua demonstração de resultados.

Embora os custos operacionais geralmente não incluam despesas de capital, eles podem conter muitos outros. Entre eles, vale destacar:

  • Aluguel do espaço físico, energia elétrica e condomínio;
  • Softwares;
  • Despesas salariais e outras.

Então, o custo operacional nada mais é que a soma dos custos de tudo que estiver diretamente relacionado à operação principal do seu escritório.

3. Margem bruta

A margem bruta é um indicador financeiro da rentabilidade do seu negócio e reflete o controle sobre o custo operacional (ou direto). Ela revela o quanto uma empresa ganha com a venda de seus produtos e a relação na dedução de qualquer custo direto.

A fórmula para calcular a margem bruta é: Faturamento Total – Custo Operacional / Faturamento Total. Apesar de variar bastante de acordo com o negócio em questão, a porcentagem da margem bruta é útil quando monitorada em uma linha de tendência e para otimizar a operação. Controlá-la possibilita que você identifique se há mudanças significativas que possam exigir uma investigação mais aprofundada.

Uma diminuição da percentagem da margem bruta pode ser motivo de ineficiência operacional e de grande preocupação, já que pode implicar em uma redução da competitividade dos serviços do seu escritório.

4. Custos administrativos

Os custos administrativos são as despesas que não estão diretamente ligadas a uma função primária do negócio. Essas despesas estão relacionadas ao seu escritório como um todo. Os valores dos serviços gerais são exemplos dessas despesas.

Em outras palavras, os custos administrativos são despesas não operacionais necessárias para a operação básica do seu escritório. Essas despesas são fundamentais para o seu sucesso, já que surgem para aumentar sua eficiência.

5. Margem líquida

A margem líquida é a porcentagem de receita restante depois que todas as despesas operacionais, os juros, os impostos e os dividendos de ações preferenciais foram deduzidos da receita total de sua empresa.

A fórmula para calcular a margem líquida é: (Faturamento Total – Despesas Totais) / Faturamento Total = Lucro Líquido / Receita Total = Margem Líquida

A margem líquida é um indicador financeiro dos mais seguidos. Em empresas com regime de ações, seus acionistas acompanham-na de perto, pois ela demonstra o quão boa pode ser uma empresa no pagamento de dividendos.

Portanto, a margem líquida é frequentemente utilizada para comparar negócios do mesmo segmento. Pode ser extremamente útil comparar margens líquidas entre um grupo de organizações para ver quais são mais eficazes na conversão de vendas em lucros.

6. Custo de ociosidade e absenteísmo

Outro indicador financeiro e operacional importante e que pode tornar o seu escritório contábil mais rentável é o cálculo do custo de ociosidade e absenteísmo. Com eles, você poderá monitorar como anda a produtividade do seu negócio, além de descobrir se há sobrecarga ou espaço disponível para ampliar a sua cartela de clientes sem necessariamente aumentar seu custo com mão de obra.

Para essa análise, você precisa identificar qual é a capacidade produtiva atual do seu escritório e o tempo ocioso dos seus funcionários. A partir disso, você pode saber se é possível aumentar o número de clientes atendidos sem precisar aumentar a sua equipe, otimizando o tempo de trabalho e usando as horas que não estão sendo aproveitadas.

Além disso, o custo de absenteísmo é outro indicador de produtividade importante para o seu escritório. Você deve levar em conta que existe uma margem normal e aceitável de absenteísmo, considerando os abonos por questões de saúde dos seus colaboradores, por exemplo, e outras questões legais. Porém, se esse valor for muito alto, é importante rever as práticas de gestão de pessoas em seu escritório.

7. Payback de contrato

Payback médio de contrato — ou período de retorno — é o intervalo médio de tempo necessário para recuperar o custo de investimento em seus contratos. Se demorar cinco anos para que um investimento pague seus custos, por exemplo, o período de retorno é de cinco anos.

Ele é um determinante importante para verificar a viabilidade de um projeto, já que os períodos de retorno mais longos não são desejáveis para sua contabilidade. Essa métrica ignora o valor temporal do dinheiro, ao contrário de outros métodos de orçamento de capital  como o valor presente líquido, a taxa interna de retorno ou o fluxo de caixa descontado.

Grande parte do financiamento corporativo é baseado em orçamento de capital. Uma das coisas mais importantes que todo analista financeiro corporativo deve saber é como avaliar diferentes investimentos ou projetos operacionais.

O analista deve descobrir uma maneira confiável para determinar o projeto mais rentável ou o melhor investimento a ser feito. Muitos analistas financeiros corporativos fazem isso por meio dos índices do período de retorno.

A maioria das fórmulas de orçamento de capital leva em consideração o Time Value do dinheiro, que é a ideia de que dinheiro em mãos hoje vale mais do que no futuro porque ele pode ser investido e gerar lucro.

Alguns analistas financeiros usam o método do payback por ser um indicador financeiro bastante simples. Outros preferem usá-lo como um ponto de referência adicional em uma estrutura de decisão de orçamento de capital.

Por fim, para uma análise correta, os itens 2, 3, 4 e 5 ainda devem ser divididos pelo Faturamento total (1). Assim, você verá com clareza quanto cada gasto consome de tudo o que você ganha.

E você, já faz o uso regular de algum indicador financeiro em sua contabilidade? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Conte pra gente aqui nos comentários!

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM