Quando utilizar a DRE e o Fluxo de Caixa? Entenda as diferenças e funcionalidades de cada demonstrativo

O Fluxo de Caixa permite uma análise em curto prazo e a DRE possibilita um controle periódico de longo prazo da situação empresarial

3 de agosto de 2020

O Fluxo de Caixa permite que você acompanhe o dinheiro disponível no caixa da sua empresa. Ou seja, é uma análise a curto prazo das entradas e saídas financeiras do dinheiro da sua empresa. Já o DRE é um relatório que traz um apanhado de lucro e prejuízo em um determinado período, ou seja, capacidade da empresa de gerar lucro.

Portanto, utilizar as duas ferramentas é fundamental para o sucesso da gestão do seu negócio. Mas, como saber exatamente qual usar? Além da diferença que citamos acima, quais outras existem entre os dois relatórios?

No artigo de hoje vamos responder essas e outras perguntas e te explicar, em detalhes, a diferença entre DRE e Fluxo de Caixa? Vamos nessa?

DRE x Fluxo de Caixa

É comum, principalmente nas micro e pequenas empresas, os gestores não saberem o que fazer com todos estes relatórios e números. Ou seja, eles fazem a DRE e Fluxo de Caixa apenas para cumprir o que manda a legislação. 

No entanto, eles podem trazer insumos importante para garantir o sucesso do seu negócio. Continue a leitura para entender as diferenças entre eles e, principalmente, quando utilizá-los. 

O que é Fluxo de Caixa?

Fluxo de caixa é a ferramenta que permite a análise, a curto prazo, do dinheiro de uma empresa em um determinado período. Ou seja, ele cuida das entradas e retiradas de valores do caixa. Portanto ele é uma das principais ferramentas de gestão que a sua equipe irá utilizar. 

Entenda melhor o fluxo de caixa

Fluxo de Caixa e DRE
O que é o DRE?

O Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) é um relatório contábil que verifica se a empresa está tendo lucro ou prejuízo em um determinado período. Ou seja, é preciso fazer o acompanhamento financeiro durante um tempo maior para ter dados mais confiáveis. 

Este relatório é feito por um profissional de contabilidade. Segundo a legislação, esse documento é obrigatório para todas as empresas, exceto os microempreendedores individuais (MEI) e precisa ser feito anualmente. 

Diferença entre os relatórios

Além do período de apuração de informações existem outras diferenças entre DRE e Fluxo de Caixa. Para te explicar melhor nós preparamos estes dois infográficos. Confira:

DRE e Fluxo de Caixa
Quando utilizar a DRE e Fluxo de Caixa na sua empresa?

Como você já percebeu, os dois relatórios dizem da saúde financeira da sua empresa. Neste sentido, saber interpretar estes dados é fundamental para o sucesso do seu negócios. Vamos entender melhor?

Para que serve a DRE?

Esse regime de competência deve ser utilizado para visualizar a estrutura financeira da sua empresa e saber se o seu modelo de negócio faz sentido. Sendo assim, a DRE permite avaliar e decidir sobre a continuidade da produção e comercialização dos produtos ou serviços.

A DRE permite ainda verificar se o que você comercializa gera lucro suficiente para pagar os custos e despesas, sem levar em conta quando as receitas serão recebidas ou os custos serão quitados. Nesse sentido, ela ajuda a encontrar o ponto de equilíbrio financeiro do negócio.

E quando usar o fluxo de caixa?

Esse relatório demonstra o quanto de dinheiro a sua empresa possui em caixa. Sendo assim, ele deve ser usado para gerenciar a liquidez do negócio — capacidade de quitar seus compromissos. Essa análise é importante pois em muitos casos a sua empresa pode estar gerando lucros, mas, no curto prazo, não possui dinheiro, ou capital de giro, para pagar as contas. 

Portanto, fica claro que estes dois relatórios são de extrema importância e os dois se complementam. Sendo assim, é fundamental que você converse com o seu contador para que os dois, juntos, analisem os documentos e decidam os próximos passos que a empresa dará no mercado. 

Espero que tenha gostado do nosso conteúdo e entendido as diferenças entre DRE e Fluxo de Caixa. Quer continuar estudando sobre gestão empresarial? Visite nosso Facebook e Linkedin e participe de nossas discussões.

Escrito por

João Vitor Fernandes - Analista de Conteúdo

João Vitor é jornalista, pós-graduado em Marketing para Mídias Sociais e Especialista em Produção de Conteúdo com certificações em Inbound Marketing e Blogues Corporativos. Atua como Analista de Conteúdo na Mastermaq.

Confira nossos outros posts