Declaração do Imposto de Renda: a importância de antecipar os documentos do cliente

Para fazer a declaração do imposto de renda pessoa física dos seus clientes, uma vasta documentação é exigida. E não é para menos! As movimentações financeiras das pessoas físicas requerem cuidados – para contadores e para os próprios declarantes. Inclusive, você sabe qual o benefício de adiantar os documentos do seu cliente? É o que vamos explicar hoje!

O Imposto de Renda Pessoa Física é a principal obrigação e vem logo no início do ano. O período de entrega da declaração é do início de fevereiro até o final de abril. No entanto, os contribuintes têm o costume de enviar suas informações na última hora. Mas, com o auxílio de um bom planejamento, o envio pode ser adiantado para garantir uma segurança ainda maior.

É hora de entender ainda mais as vantagens de antecipar as informações dos seus clientes. Descubra os benefícios de adiantar a declaração do imposto de renda dos clientes e como fazer isso. É só seguir a leitura.

Quem precisa fazer a declaração do imposto de renda pessoa física?

Antes de entender os benefícios de adiantar a sua declaração do imposto de renda pessoa física, precisamos compreender quem está elegível a entregar esta obrigação.

Como ainda não foi informado quais serão os grupos nesse ano, vamos listar os seis grupos específicos que precisaram informar à Receita Federal do Brasil sobre bens e movimentações financeiras em 2018. Vamos a eles:

  1. quem recebeu, em 2018, rendimentos tributáveis que dão um total superior a R$ 28.559,70. Este valor é equivalente para os trabalhadores, aposentados ou pensionistas que recebem mais de R$ 1.903,98 mensais;
  2. quem recebeu rendimentos não tributáveis – que não geram lucro ou valor líquido e não são taxados por impostos – acima de R$ 40 mil;
  3. quem trabalha no campo e tenha um rendimento anual bruto de renda rural acima de R$ 128.308,50;
  4. todos aqueles que investem em bolsas de valores, mercado de capitais ou similares, independente da quantia;
  5. quem tem imóveis ou terrenos com valor superior a R$ 300 mil;
  6. trabalhadores que escolhem utilizar da isenção de imposto de renda sobre o valor da venda de imóveis, desde que esse seja usado para a compra no país em até 180 dias.

Agora que você já sabe quais são os grupos que devem entregar, é hora de entender os benefícios de adiantar a declaração do imposto de renda.

Quais documentos você deve solicitar?

No blog, já falamos que os benefícios de se adiantar vão além da restituição do imposto de renda. Com esse processo, você consegue fazer correções antes do fim do prazo, criar análises mais detalhadas e ainda evita sofrer com o congestionamento nos servidores da Receita Federal do Brasil.

Mas a lista de documentos para a declaração do imposto de renda pode ser maior do que você pensa. Vejamos:

  • CPF, título eleitoral, comprovante de endereço e informações da conta do banco para a restituição;
  • informe de rendimentos: este documento é repassado pelos bancos e entregue via Correios ou internet. Em caso de encerramento de conta, é necessário ir até à agência para pedir informe do período de correntista;
  • informe de rendimentos do empregador: neste documento são descritas informações como os rendimentos e IRPF retido do trabalhador. É fornecido pela empresa e deve ser solicitado ao departamento pessoal;
  • informe de rendimentos e corretoras: esta informação só é dada para quem usou serviços de corretoras. Nele, é descrito o saldo em cada aplicação e os respectivos rendimentos;
  • documentos do imóvel: no item de Bens e Direitos, deve ser informado o valor pago pelo imóvel descrito no contrato. Caso seu cliente tenha um financiamento, deve ser informado o valor que foi pago até o fim do último ano;
  • aluguéis: quem paga ou recebe aluguéis precisa declarar os valores. Para clientes que recebem, deve ser declarado como rendimento. Para inquilinos que pagam diretamente para aos proprietários, o depósito vale como comprovante. Se for com Imobiliária, ela fornece histórico dos aluguéis pagos.
  • demais despesas: gastos com saúde e educação (escola, faculdade, pós-graduação ou ensino técnico) são dedutíveis, mas precisam ser comprovadas com recibo ou nota fiscal. Se seu cliente fez contribuições que enquadram nas regras de doações com incentivos, elas também podem ser abatidas.

Não se esqueça dos dependentes!

Além dos seus documentos, você precisa cobrar do seu cliente a documentação de todos os dependentes. É preciso informar o nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes e data de nascimento, incluindo gastos e ganhos que os envolvam.

Como solicitar os dados do cliente?

Você tem vários caminhos para solicitar os documentos do seu cliente e fazer a declaração do imposto de renda. Além das ferramentas mais tradicionais, que envolvem motoboys e muitos papéis, você pode contar com ferramentas online que te auxiliam nesse processo.

Emails, redes sociais e até mesmo softwares especializados em imposto de renda Pessoa Física te ajudam a ter acesso aos documentos dos seus clientes. E, além da extensa lista de informações, é importante ter a declaração dos ano anteriores em mãos! Com elas, você consegue averiguar a evolução do patrimônio do cliente e melhorar o seu trabalho consultivo.

Vale lembrar que os softwares especializados mostram graficamente a evolução da declaração do imposto de renda e oferecem mais precisão antes de enviar o arquivo à Receita Federal. Por isso, não tenha dúvidas ao procurar esse tipo de aplicativo.

Agora que já entendeu como adiantar a declaração do imposto de renda do cliente e quais documentos deve cobrar, fique ligado nas nossas páginas do Facebook e do LinkedIn. Lá, você vai encontrar outros materiais que vão te ajudar no Imposto de Renda dos clientes! Não deixe de acompanhar.

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM