08 tendências do blockchain em 2020

Entenda os campos de avanço e as dificuldades desta tecnologia para este ano

1 de maio de 2020

Desde a popularização da internet nos anos 90, as transações, serviços e atividades têm migrado para o ambiente on-line. Em igual medida, a segurança nesses ambientes tem sido sempre aprimorada e a principal inovação novidade neste campo é o blockchain.

Também conhecido como protocolo da confiança, o blockchain é a tecnologia de registro distribuído. Ou seja, ela aposta na descentralização como medida de segurança.

Ainda não sabe o que é o blockchain? Quer entender mais sobre ele? No artigo de hoje, vou te mostrar os conceitos desta tecnologia e ainda te mostrar as 08 principais tendências da tecnologia em 2020. Vamos nessa?

Afinal, o que é o Blockchain?

Para entender melhor sobre o protocolo de confiança, é só pensar nela como uma base de dados. No entanto, uma vez registrada a transação, os dados não podem ser mudados ou excluídos. Inicialmente a tecnologia foi desenvolvida para garantir a segurança das transações de bitcoins, no entanto, com potencial de segurança ela vem chamando a atenção de bancos, órgãos governamentais e outros agentes econômicos. 

Sendo assim, o blockchain em 2020 se torna bastante promissor para escritórios de contabilidade, por exemplo, para registro de movimentações financeiras, entregas de obrigações e afins. Essa tecnologia, aliada ao compliance contábil, podem ser ferramentas fundamentais para os escritórios do futuro. 

Ainda tem dúvidas? Vamos acompanhar as principais tendências do blockchain em 2020 que você vai entender melhor essa tecnologia.

Criptografia e blockchain em 2020

Ultimamente tem se falado muito no modelo de trabalho home office. As medidas de isolamento social causadas pela pandemia de Covid-19 trouxeram essa realidade para muitas empresas. 

Nesse sentido, o armazenamento em nuvem também começou a ser procurado com mais intensidade. Mas, você sabia que a tecnologia de blockchain em 2020 poderá afetar esse serviço?

Isso porque, servidores conhecidos como o Google e a Amazon podem chegar a preços muito caros, dependendo da quantidade de dados a serem armazenadas. No entanto, caso a empresa conte com um servidor de blockchain devidamente regulamentado, é possível criar um banco de dados, seguro, imutável a resistente a ataques externos. 

A criptografia já é conhecida e bastante utilizada. Até o WhatsApp usa essa tecnologia para garantir a segurança dos dados compartilhados dentro da ferramenta. Porém, a criptografia nativa do blockchain, pode ser utilizada para proteger a rede de dispositivos que acessam àquele bloco registrado. 

Adesão governamental

Outra tendência para 2020 é a adesão de governos à essa tecnologia contando, inclusive, com incentivo a projetos futuros. A China, por exemplo, anunciou que irá investir para melhorar e resolver problemas técnicos, acelerar o desenvolvimento do blockchain e outras iniciativas de inovação industrial. 

O Banco Popular da China está desenvolvendo a cripto-yuan, um criptoativo próprio e gerenciado centralmente pelo governo chinês.

Meios de pagamento é uma tendência do blockchain em 2020

Outro forte impulso que o mercado de tecnologia espera ter em relação ao Blockchain em 2020 é em relação aos meios de pagamento. A tendência é que andemos cada vez menos com dinheiro de papel, o que mostra que os pagamentos virtuais estão cada vez mais populares. 

Para o CEO da Bolsa de Moedas Virtuais e Empresariais de São Paulo (Bomesp), Fernando Barrueco, 42 milhões de pessoas já usam essa tecnologia para realizar pagamentos entre pessoas. Ainda segundo Barrueco, esse número tende a crescer.

“Muito em breve, bilhões de pessoas em todo o mundo usarão essa tecnologia de maneira tão corriqueira quanto um cartão de crédito, pagando de compras a corridas de táxi”, afirma o CEO.

O crescimento no mundo corporativo

Grandes empresas como o Facebook e a IBM são duas das megacorporações que utilizam a tecnologia do Blockchain. Mas a novidade para este ano é a entrada de outras grandes corporações. 

Além do Banco da China, como já dissemos anteriormente, o Banco Central Europeu anunciou que o Bloco Econômico mais rico do mundo está desenvolvendo sua tecnologia de blockchain e de criptoativos.

A Internet das Coisas aliada ao blockchain em 2020

Outro conceito bastante divulgado atualmente é o da Internet das Coisas (IoT). Ou seja, este conceito leva em conta a conectividade com a internet de aparelhos de uso diário, como relógios, televisores, geladeiras e afins. 

É claro que, se existe a conexão com a rede, existe o compartilhamento de dados. Nesse sentido, a segurança precisa ser reforçada e a tecnologia de blockchain pode ser uma grande aliada. 

É certo que grandes provedores de tecnologia já trabalham com essa integração, que pode reinventar o mercado de internet e elevar o potencial de alcance desta tecnologia.

O compartilhamento de dados é inevitável

Quando falamos em internet e IoT, fica claro que compartilhar dados é algo inevitável. Segundo um estudo feito pelo IBM Institute for Business Value, 88% das instituições acreditam que é necessário garantir padrões de comunicação de dados e que esse é um fator importante para que a indústria seja parte integrante do blockchain em 2020.

Por isso, a tendência é de aliar as tecnologias de criptografia, IoT e Blockchain para ligar os ativos digitais ao mundo físico, injetando dados nas redes. Ou seja, a intenção é automatizar e dar segurança ao compartilhamento de dados, para que diminuía a inserção de informações manuais e, com isso, haja uma diminuição de erros e fraudes. 

É necessário melhorar a legislação do blockchain em 2020

É fato que haverá um crescimento do Blockchain em 2020, no entanto, esse crescimento precisa ser seguido por uma regulamentação de amplitude mundial. Enquanto isso não ocorrer, os investidores espalhados por todo o mundo ficarão com medo de lidar com os riscos e terem consequências desastrosas.

No Brasil, existe a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) que regulamenta o processo de compartilhamento e tratativas de dados de usuários no meio digital. Esse já é um avanço, mas ainda é necessário algo mais concreto e que diga, com propriedade, como se dará o uso da tecnologia de blockchain pelo mercado. 

Essa medida, além de dar segurança, ajudar a acabar com a “má reputação” de termos como criptomoedas, bitcoins, entre outros. 

A imaturidade de novas tecnologias

É comum ao mercado de tecnologia superestimar os efeitos de novas tecnologias assim que elas surgem. É necessário um tempo para que os seus benefícios sejam reconhecidos e elas comecem a ser utilizadas em larga escala. Isso porque, antes de se “popularizar”, as novas ferramentas precisam ser testadas à exaustão. 

Em relação ao Blockchain em 2020, a tendência é de experimentar ainda mais, para que ela, quando for devidamente regulamentada, seja amplamente utilizada em pouco espaço de tempo.

Sendo assim, neste ano serão testados e resolvidos problemas de:

  • Usabilidade
  • Interoperabilidade
  • Segurança
  • Escalabilidade

Ou seja, ainda levará um tempo para que a tecnologia do blockchain chegue ao convívio das pessoas comuns.

Bom, como vimos, as tendências para o blockchain em 2020 passam por expansão, regulamentação e testes. Mas sem dúvidas, essa é uma grande aposta do mercado de tecnologia para o futuro.

Quer ficar por dentro de outros assuntos ligados a tecnologia?  Em nosso próximo texto vamos falar da tecnologia da Machine Learning e como ela tem impactado as empresas. Esperamos por você!

Escrito por

João Vitor Fernandes - Analista de Conteúdo

João Vitor é jornalista, pós-graduado em Marketing para Mídias Sociais e Especialista em Produção de Conteúdo com certificações em Inbound Marketing e Blogues Corporativos. Atua como Analista de Conteúdo na Mastermaq.

Confira nossos outros posts