Balanço patrimonial: O que é, para que serve, como analisar e dicas práticas

Entenda tudo sobre esse demonstrativo contábil

22 de junho de 2020

Quantas discussões, textos e materiais você já leu sobre o futuro da contabilidade e contabilidade consultiva? Aposto que muitos. A maioria deles diz sobre ferramentas e tecnologias que permitam uma atuação diferente. No entanto, conhecimentos básicos como o balanço patrimonial pode ser uma importante ferramenta para essa atuação.

Como sabemos. esse demonstrativo contábil oferece dados e insumos para você entender como está a situação patrimonial e financeira do seu cliente e, com isso, traçar estratégias para melhorar a gestão empresarial.

Portanto, no artigo de hoje, vamos te mostrar  o que é o balanço patrimonial, como fazer a análise e alguns dicas práticas para você utilizar essa ferramenta como uma possibilidade de entregar novos serviços para o seu cliente. Vamos nessa?

O que é o Balanço Patrimonial

O balanço patrimonial é utilizado para demonstrar a situação patrimonial e financeira de uma empresa em um determinando período. Essa análise pode ser feita de forma qualitativa ou quantitativa e pode trazer vários insumos para a gestão empresarial.

Esse é o principal demonstrativo contábil de uma empresa, tendo em vista que apresenta de forma criteriosa todos os bens, investimentos e fontes de recurso de uma empresa Aliado a um fluxo de caixa bem feito, é uma poderosa ferramenta para traçar as estratégias do negócio do seu cliente. 

Balanço e razonetes

Como o próprio nome diz, o balanço patrimonial funciona como uma espécie de balança. Ou seja, de um lado os bens, direitos e recursos e do outro as obrigações, dívidas e pagamentos. Portanto, o equilíbrio entre os dois lados é o resultado da visão patrimonial de uma empresa.

Nesse sentido, o razonete trabalha com a mesma lógica do balanço patrimonial e funciona como uma versão gráfica do livro de registros e facilita o processo do balancete e, depois, do balanço.

balanço patrimonial

Para que serve um Balanço Patrimonial

Resumindo, o balanço patrimonial pode te ajudar com as seguintes informações:

  • Conhecer todos os bens, direitos e obrigações em determinado período;
  • Entender a origem dos recursos e planejar investimentos;
  • Observar a evolução patrimonial para melhor direcionar ações a longo prazo;
  • Permitir que o seu cliente faça o pagamento de dividendos aos sócios da empresa;
  • Entender e melhor o planejamento tributário da empresa;
  • Fornecer informações estratégicas para a diretoria da empresa do seu cliente.

Estas, entre outras informações possíveis, faz com que você vá além da contabilidade básica e entregue valor para o seu cliente. Ao fazer uma análise correta dos dados acima, você consegue entregar um serviço de consultoria que pode melhorar a gestão do seu cliente. 

No entanto, para chegar a estes resultados é preciso entender a fundo a estrutura de um balanço patrimonial. Vamos nessa?

Como funciona o balanço patrimonial

Pode parecer complexo mas a estrutura do balanço patrimonial é bem simples. Ele é divido em três pontos: ativos, passivos e patrimônio líquido. Que tal entender cada um deles?

Ativo

Corresponde a todos os bens e direitos e aplicações que a empresa possui. Entram nesta conta investimentos de qualquer natureza, títulos públicos ou privados que a empresa tem para receber

Passivo

Os passivos correspondem a todas as obrigações financeiras que a empresa do seu cliente possui com o Governo, outras empresas — fornecedores, por exemplo — e funcionários. 

Patrimônio Líquido

É considerado patrimônio líquido os valores que a empresa tem disponível em caixa. Ele engloba valores que pertencem aos acionistas, como, por exemplo, capital social, ajustes de evolução patrimonial, reserva de lucros, entre outros.

Como calcular no balanço

Os dados do patrimônio líquido são colocados do lado direito, junto com os passivos. Sendo assim, o resultados entre bens e direitos e as obrigações será sempre zero. Ou seja, caso os ativos superem os passivos, a diferença é divida entre os sócios dentro do patrimônio líquido.

Tabela Balanco patrimonial

O balanço patrimonial é um demonstrativo a longo prazo

É preciso entender que o balanço patrimonial é um demonstrativo que precisa ser usado para traçar estratégias a longo prazo. Isso porque, ele aponta a situação financeiro e patrimonial do período apurado.

Sendo assim, para ações de curto prazo, é preciso analisar outros relatórios da empresa do seu cliente, como fluxo de caixa, ponto de equilíbrio financeiro, análise de turnover, entre outros. 

Montando um balanço patrimonial por meio da liquidez

Como já vimos, o balanço patrimonial é dividido entre duas colunas. De um lados os ativos e do outro os passivos e o patrimônio líquido. No entanto, existe uma ordem para o preenchimento destas informações que facilita a análise. 

Portanto, ao colocar as informações na parte de ativos é importante que você coloque primeiro os ativos do seu cliente com maior liquidez, ou seja, aqueles que são mais fáceis de serem transformados em dinheiro. No final da lista, claro, os itens com menor liquidez.

Dessa forma a análise fica facilitada e você consegue entender se o negócio do seu cliente tem maior liquidez e, assim, analisar se ele conseguirá quitar os compromissos com maior rapidez.

Agora, se a maioria dos ativos for de menor liquidez, o seu cliente poderá ter problemas com as obrigações. 

Bens, direitos e obrigações

Estamos falando a todo o tempo em bens, direitos, obrigações. Mas afinal, você sabe o que significa cada um destes termos? Vamos entender?

Bens

É comum confundir os bens com os ativos. Porém, um bem é um ativo da empresa que pode ser transformado em dinheiro, mas que é utilizado para o funcionamento da empresa. Por exemplo, uma máquina de linha de produção, uma impressora, em caso de gráficas e etc. 

Normalmente eles são itens de liquidez menor pois fazem parte do dia a dia a empresa do seu cliente. 

Direitos

É considerado direito todos os valores mensuráveis da empresa que não se configura como um bem.  Os exemplos mais comuns de direitos são as contas a receber, aplicações, investimentos  e etc.

Obrigações

Já as obrigações é tudo aquilo que precisa ser pago pela empresa do seu cliente. Ou seja, folha de pagamento, obrigações tributárias, contas a pagar e etc. 

Outras divisões do balanço patrimonial

Vimos até agora uma estrutura simples do balanço patrimonial. Contudo, é possível dividir os ativos e passivos em subcategorias. O objetivo dessa ação é facilitar a análise e oferecer ainda mais insumos para a tomada de decisões. Continue a leitura que vamos te mostrar como funciona. 

Ativos Circulante

Na categoria de ativos circulantes é colocado todos os bens e direitos que terão liquidez dentro do prazo de um ano, ou do período analisado pelo balanço patrimonial. Neste campo estão as contas a receber, o dinheiro existente em caixa, aplicações de liquidez imediata e etc.

Ativo Não Circulante

Já nesta categoria são colocados todos os bens e direitos com liquidez superior a um ano ou ao período analisado pelo balanço patrimonial. Aqui estão as aplicações e investimentos a longo prazo, e também os bens como máquinas, veículos e etc. 

Passivo Circulante

Seguindo a mesma lógica anterior, os passivos circulantes são pagamentos e obrigações que precisam ser pagas dentro do prazo de um ano. São eles empréstimos, salários, impostos, fornecedores e etc. 

Passivo Não Circulante

Nesta categoria estão as obrigações a serem pagas com prazo superior a um ano, como  financiamentos e parcelamentos a longo prazo.

O que analisar em um balanço patrimonial

Como falamos em outros momentos, o balanço patrimonial pode ser uma importante ferramenta gerencial e você pode utilizá-lo para entregar ainda mais qualidade e valor para o seu cliente.

Com uma boa apuração deste documento você pode ter várias informações para dividir com o seu cliente e, juntos, melhorar a gestão empresarial. Vamos entender melhor?

manualpme

Principais indicadores conseguidos a partir do balanço patrimonial

Indicadores de Rentabilidade

Esse indicador é importante para o seu cliente saber o quão rentável é a empresa. Além disso, com este dado é possível pensar em mudanças para aumentar a rentabilidade, ou então ações para manter a lucratividade. 

Nesta categoria estão:

  • Retorno sobre os Ativos = Lucro Líquido / Ativo Total
  • Giro de Ativos = Vendas / Ativo Total
  • Retorno sobre o Patrimônio Líquido = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido.

Indicadores de Liquidez

Com estes dados você consegue alertar o seu cliente sobre possíveis problemas com pagamento de obrigações, por exemplo. Veja alguns exemplos.

  • Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante
  • Seca = (Ativos Circulantes – Estoques) / Passivos Circulantes
  • Geral = (Ativos Circulantes + Realizáveis a Longo Prazo) / (Passivo Circulantes + Exigível a Longo Prazo)
  • Liquidez Imediata = Disponível / Passivos Circulantes

Indicadores de Endividamento

Como o próprio nome sugere, estes são os indicadores que ligam o alerta velho para o seu cliente. Com base nestes dados você pode orientá-lo a algumas ações de correção, ou estratégias para diminuir um possível endividamento.

Os exemplos são os seguintes:

  • Endividamento = Passivo Total / Ativo Total
  • Grau de Endividamento = Passivo / Patrimônio Líquido

Conclusão

Como vimos, o balanço patrimonial é uma ferramenta poderosa para a atuação contábil consultiva. E o melhor, uma ferramenta que é de conhecimento dos contadores, certo? 

Nesse sentido, percebemos que a atuação dos contadores como consultores pode ser bem mais simples do que imaginamos. As tecnologias são importantes, mas elas entram como aliadas da transformação cultural que os escritórios precisam passar.

Falamos disso neste PodCast aqui em baixo. Vale a pena escutar.

Mastermaq Software · MasterCast – Você está pronto para a transformação digital?

Claro que para apresentar novos serviços e se dedicar, por exemplo, a analisar a fundo o balanço patrimonial do seu cliente, você precisa de tempo e segurança. Nesse sentido a robotização pode ser uma aliada nessa empreitada. Leia esse nosso artigo e entenda como.

Escrito por

João Vitor Fernandes - Analista de Conteúdo

João Vitor é jornalista, pós-graduado em Marketing para Mídias Sociais e Especialista em Produção de Conteúdo com certificações em Inbound Marketing e Blogues Corporativos. Atua como Analista de Conteúdo na Mastermaq.

Confira nossos outros posts