5 erros de gestão financeira que as empresas devem evitar

As pequenas e médias (PMEs) empresas contribuem com aproximadamente 26% do PIB nacional. No entanto, elas também representam o contingente de empresas mais vulnerável à falência, principalmente em períodos ruins da macro economia. E um dos principais fatores que levam as PMEs a sucumbirem são justamente os erros na gestão financeira.

Se você possui uma PME, fique tranquilo: existem algumas práticas simples para garantir uma boa gestão financeira. Conheça agora os 5 principais erros de gestão financeira que as empresas devem evitar:

1. Não ter capital de giro

Como o próprio nome diz, o capital de giro é o dinheiro necessário para manter a empresa em funcionamento, considerando suas despesas dentro de ciclo de negócio. Quando uma empresa é aberta, além do capital inicial – que é um montante necessário para colocar o negócio em operação –, é sugerido ter um capital de giro que proporcione sua empresa operar durante um período com prejuízo, em casos de necessidade.

Isso permite que a empresa vá funcionar mesmo que o negócio ainda não tenha engrenado e, na medida em que o faturamento cresça, o negócio siga firme. Funcionar sem capital de giro é um erro grave!

2. Não ter um orçamento claro

A sua empresa possui um plano orçamentário bem traçado? Você sabe exatamente quanto será durante todo o ano, o seu gasto com pessoal, produção, despesas administrativas, manutenção, treinamento ou fornecedores?

Muitas PMEs não têm um orçamento estruturado ou possuem um que não corresponde à realidade da empresa. Para fazer uma gestão financeira eficaz, é importante ter um plano de orçamento real.

3. Falta de diálogo com fornecedores

A falta de uma boa relação com fornecedores pode levar à má gestão financeira. Se a empresa depende dos fornecedores para se manter funcionando, essa relação precisa ser a melhor possível. Não é porque a empresa é pequena que ela não tem poder de negociação.

É preciso criar alternativas e construir boas condições com os fornecedores e assim ganhar a confiança deles. Não funciona, por exemplo, negociar um prazo com algum fornecedor que preveja o pagamento do serviço antes mesmo de a empresa ter vendido aos seus clientes. Isso não funciona.

4. Estoque desproporcional

Esqueça a frase que estoque é investimento. Com a depreciação e constante inovação de mercado os produtos se tornam obsoletos e de baixo valor agregado rapidamente. Um estoque ideal é aquele que tem o produto na quantidade ideal conforme demanda, nem mais, nem menos. Estoques diferentes disso são casos clássicos de falta de planejamento, ou seja, o “dinheiro” parado no seu estoque está se depreciando em vez de ser movimentado em investimentos rentáveis.

5. Desorganização e falta de controle

Ainda existem gestores que ainda não desenvolveram um controle sistemático de finanças e vivem desorganizados com os números. Para que você consiga ter uma ideia da saúde financeira da sua empresa, é necessário ter todos os dados importantes disponíveis em algum lugar de forma lógica e fácil acesso.

Algumas instituições conseguem manter planilhas organizadas. Mas na medida que o negócio cresce, o ideal é optar por um software de gestão que permita atualizar os dados on-line e gerar relatórios e projeções futuras, por exemplo. O importante é conseguir achar e controlar os dados financeiros de forma rápida, prática e segura.

E você, já sabe como anda a saúde financeira da sua empresa? Quer continuar por dentro das melhores práticas para cuidar do seu negócio? Acesse o artigo “Programa de gestão financeira: como pode ajudar sua empresa” e saiba como contar com essa ajuda!

 

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM