5 diferenças entre um PVA e um sistema auditor

Os Programas Validadores e Assinadores (PVAs) são sistemas criados pelo governo para fazer a validação das obrigações que as empresas devem enviar ao Fisco. Como você sabe, a auditoria feita por esses programas é muito simples e, assim, você não consegue identificar detalhadamente os registros que estão errados e podem gerar autuações para seus clientes.

Atualmente, os PVAs se atualizaram e receberam um novo nome! Sua nova nomenclatura é PGE, que significa Programa Gerador de Escrituração. Essa atualização foi feita porque o programa ganhou novas funções além das que já tinha!

De qualquer forma, é fundamental que você use um sistema especializado para fazer a auditoria das obrigações e enviá-las de forma correta. Quer saber quais são as 4 principais diferenças entre um PVA e um auditor? Então, continue a leitura do artigo de hoje!

1 – Auditoria

A primeira diferença é na forma como a auditoria é feita. Como você sabe, o PVA faz a verificação apenas dos valores totais dos blocos da apuração e da estrutura do arquivo. Você não tem acesso à informação de cálculos que podem ter sido feitos em desacordo com o enquadramento fiscal da empresa.

Em um sistema especializado, a auditoria verifica a situação tributária, enquadramento fiscal, base de cálculo, alíquotas e impostos. Através do cruzamento de informações com outros arquivos e de mais de 20 mil análises, o auditor consegue apontar cálculos e valores que foram preenchidos de forma errada. São apresentadas não apenas as inconsistências que seriam apresentadas no PVA, mas diversos outras que poderiam gerar problemas futuros para o seu cliente com o Fisco.

2 – Correção

Depois de fazer a auditoria do arquivo, é hora de corrigir as inconsistências. No PVA, você vai saber qual é a inconsistência e conseguirá fazer a correção dentro do próprio sistema. Porém, é um processo complicado e demorado: você tem que alterar cada registro individualmente, mesmo quando se trata de um erro que se repete várias vezes, além de ter que fazer os cálculos manualmente.

No auditor, além de saber quais são os possíveis caminhos para corrigir o erro e poder fazer a correção manualmente dentro do sistema, você ainda pode optar pela funcionalidade de edição avançada. Nela, você vai poder criar regras que se aplicarão para vários registros: o sistema vai identificar onde acontece a situação da regra criada e fazer a correção em lote.

Além disso, os cálculos incorretos são identificados no auditor e você pode corrigi-los apenas clicando em um botão, sem precisar calcular a operação manualmente – mesmo que você opte por fazer a edição manual.

3 – Aprendizado

Cada obrigação possui o seu próprio PVA, e eles fazem a auditoria e a edição de formas diferentes. Por isso, você precisa saber como funciona cada Programa e como fazer a correção de cada arquivo, se escolher fazer a edição dentro do PVA.

No caso do auditor, todas as verificações e correções podem ser feitas dentro de um mesmo sistema – mesmo quando se trata de um arquivo obrigatório em apenas um estado, já que o sistema atende às legislações federais e estaduais. Além disso, o sistema deve ser desenvolvido para que você consiga executar as funcionalidades rapidamente e com facilidade.

Usando um auditor, você ainda vai precisar do PVA para enviar o arquivo. Porém, a obrigação já vai estar correta após fazer verificação e correção no auditor, e você não precisará fazer edições dentro do PVA. Nesse caso, você precisa entender como funciona a edição em apenas uma ferramenta, o auditor, e assim consegue fazer a auditoria e correção de diversas obrigações federais e estaduais.

Muito mais fácil, não é mesmo? Além de otimizar o seu tempo, com um auditor o aprendizado fica muito mais simples e rápido!

4 – Relatórios

Assim como no auditor, os PVAs emitem relatórios que apontam quais são as inconsistências apresentadas nas obrigações. Porém, além de não apresentar uma auditoria completa e eficiente, os relatórios formatados pelos PVAs são muito simples.

Os relatórios emitidos pelo auditor – em excel e PDF – apresentam um alto nível de detalhamento, e isso é fundamental para que você encontre facilmente onde os erros estão localizados e o que você deve fazer para corrigi-los.

Além disso, você pode identificar e apresentar para o seu cliente os erros que estão sendo cometidos nos lançamentos feitos na própria empresa. Assim, você ajuda o seu cliente a corrigir a falha em sua fonte e não ter maiores problemas,evitando que os erros se repitam no preenchimento das próximas obrigações.

5 – Suporte

Diferente do PVA fornecido pelo governo, um sistema de auditoria deve possuir uma equipe especializada para resolver as suas dúvidas a qualquer momento do dia, de forma simples e rápida. E você tem ainda mais benefícios se o suporte for instantâneo: assim, você pode entrar em contato com a equipe com apenas um clique.

Entendeu a importância de um auditor para evitar que seu cliente sofra penalidades e você se prejudique? Então, saiba agora como esse tipo de sistema pode te ajudar no envio de obrigações!

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM