Gerenciamento de riscos: entenda quais os principais tipos de perda que atingem o varejo

Uma agulha perdida em um palheiro é algo quase que invisível para qualquer um, mas ainda pode causar uma enorme dor! O mesmo acontece com perdas no varejo. Algumas perdas são imperceptíveis, mas são responsáveis por um buraco gigante no faturamento no final do mês. Para evitar isso, surge o gerenciamento de riscos!

Claro, identificar perdas não é uma tarefa fácil. Afinal, como encontrar algo que não está ali? Além disso, perdas no varejo variam de acordo com segmentos e, como se isso não fosse o bastante, variam entre causas identificáveis ou não. Na hora de se planejar, o gerenciamento de riscos é indispensável, pois procura conhecer e apontar causas e ameaças que podem afetar o seu negócio.

Parece exagero se planejar para tantas circunstâncias, mas é por isso que listamos neste artigo os principais tipos de perda que costumam atingir o varejo e os seus impactos no seu negócio!

Siga esse texto e comece a anotar para se direcionar nesse palheiro varejista e facilitar a busca dessas incômodas agulhas que insistem em espetar o faturamento.

1) Perdas comerciais:

Prateleiras vazias nos chamam a atenção, pois algo deveria estar ali e não está, afinal não faz o menor sentido uma prateleira de livros empilhando poeira, não é mesmo? É exatamente o que acontece com perdas comerciais, que ocorrem quando um produto não está disponível para venda.

Esse fenômeno é chamado de ruptura e também possui diversas causas, das quais as mais relevantes são:

  • Falha na reposição do produto na loja;
  • Falha na entrega do produto por parte do fornecedor;
  • Embalagens inadequadas;
  • compras e negociações erradas.

2) Gerenciamento de riscos nas perdas administrativas

Quando falamos sobre agulha em um palheiro, também estamos falando sobre atenção, pois qualquer descuido pode causar uma situação bem desconfortável. E quando o assunto são perdas administrativas, a atenção deve ser redobrada durante o processo de gerenciamento!

Essas perdas se originam por conta de falhas no gerenciamento da operação da loja. Os principais tipos de perdas administrativas são:

  • Erros de precificação;
  • Erros de cadastro de produtos;
  • Desperdícios gerais: água, energia, telefone e manutenções por mau uso;
  • Deficiências na gestão de compras e estoques;
  • Dimensionamento incorreto dos recursos humanos para operação de loja.

3) Perdas de produtividade:

Ter uma rotina nem sempre é um hábito popular. Não é todo mundo que gosta de estabelecer práticas cotidianas, não é mesmo? Porém, para conduzir um negócio que minimize as perdas de produtividade, a rotina deixa de ser uma escolha e se torna uma necessidade.

Perdas de produtividade acontecem quando não existem padrões, controles e processos operacionais estabelecidos e disseminados. Suas principais causas são:

  • Demora no atendimento
  • Desperdício de tempo;
  • Desperdício de recursos em tarefas repetitivas;
  • Retrabalhos.

4) Perdas financeiras:

Segurança é um assunto necessário e muito importante no mundo varejista. Você está exposto a situações como assaltos e furtos. E não se engane: não falamos exclusivamente de sujeitos com roupas listradas e máscaras pretas.

Furtos internos representam cerca de 15% das perdas no varejo, embora furtos externos ainda ultrapassam essa marca, com cerca de 19,5%. Essa enorme porcentagem faz parte das perdas financeiras, que surgem a partir das seguintes causas:

  • Assaltos;
  • Furtos internos e externos;
  • Deficiências nos meios de pagamento;
  • Deficiências na oferta de crédito;
  • inadimplência;
  • Fraudes (Cartões e cheques).

5) Perdas nas operações:

Chegamos à conclusão do quanto detalhes são importantes na prevenção de perdas, assim como afirmamos no tópico de perdas administrativas o valor da cautela. Neste último tópico esses conceitos se chocam.

Quando falamos de perdas nas operações, pode parecer óbvio, e é, pois estamos falando de perdas que ocorrem durante a operação da loja. Suas principais causas são:

  • Falhas no armazenamento;
  • Exposição;
  • Movimentação inadequada de produtos;
  • Falhas no recebimento de mercadorias;
  • Falhas na operação do check-out.

Acreditamos que o varejista precisa saber o que está perdendo, pois só assim poderá criar métodos para controlar e evitar baixas de estoque. O gerenciamento de riscos possibilita um conhecimento aprofundado sobre a situação de perdas em toda cadeia produtiva, e com a real noção do problema, fica muito mais fácil implantar uma política de prevenção de perdas.

Esperamos ter te ajudado a não só encontrar perdas, mas também facilitar a sua prevenção. E nesse mesmo pique, em nosso próximo artigo, oferecemos dicas para aperfeiçoar a sua administração de materiais. Confira! E entenda esse processo por completo!

Mastermaq

Com mais de 25 anos de experiência, a Mastermaq oferta produtos e serviços baseados em softwares para todo o território nacional. Contamos com uma rede especializada que atende em todas as regiões do país, envolvida no acompanhamento de milhares de contratos ativos.

LEIA TAMBÉM